Notícias - Eventos


28/03/2019 - 10h15

Projeto Cuidado Farmacêutico promove valorização para os farmacêuticos, saúde para os pacientes e economia para o SUS

Iniciativa já contabiliza mais de 3,1 mil profissionais inscritos em todo o país, resultando em 3.144 atendimentos. 

        Impresso


Projeto Cuidado Farmacêutico promove valorização para os farmacêuticos, saúde para os pacientes e economia para o SUS

Gedalva Santos de Farias, de 62 anos, moradora de Aracaju (SE) é hipertensa e paciente de uma unidade de saúde pública. Ela não conseguia controlar a doença, o que a expunha a um alto risco de acidente vascular cerebral e infarto. O acompanhamento das farmacêuticas Aline de Jesus Santos e Luiza Fima de Miranda, alunas do projeto Cuidado Farmacêutico do Conselho Federal de Farmácia (CFF), mudou esse prognóstico. Com a supervisão do tratamento, o médico conseguiu ajustar as doses do medicamento, a paciente passou a utilizá-lo corretamente e os riscos de complicações foram reduzidos, o que representou, também, economia para o Sistema Único de Saúde (SUS). Para as duas farmacêuticas, “o efeito colateral” foi a valorização profissional. ( Veja vídeo abaixo)

É assim que o Projeto Cuidado Farmacêutico, lançado pelo CFF em 2017, está contribuindo para transformar a saúde dos pacientes, a carreira dos farmacêuticos e as contas do sistema público de saúde e das farmácias comunitárias privadas de praticamente todos as unidades federativas do país. Inicialmente, o projeto foi idealizado para fomentar a prática clínica entre os farmacêuticos do SUS. A proposta, de repassar os conteúdos teóricos e estimular o desenvolvimento de competências e habilidades por meio de um sistema de tutoria, deu tão certo que, no ano passado, foi adaptada também para as farmácias comunitárias privadas. A iniciativa já contabiliza mais de 3,1 mil profissionais inscritos, resultando em 3.144 atendimentos nas redes pública e privada.

“O projeto veio suprir uma lacuna apontada pelos próprios farmacêuticos, a partir da publicação, pelo CFF, das Resoluções nº 585/2013 e nº 586/2013, que dispõem sobre as atribuições clínicas do farmacêutico e a prescrição farmacêutica”, explica a coordenadora pedagógica do projeto, Walleri Reis. “Somente agora, com a publicação das novas Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Farmácia em 2017, está mais focado no preparo do farmacêutico para a prática clínica. É natural que quem se graduou anteriormente não se sinta tão preparado para o atendimento direto ao paciente”, endossa o professor Marcos Valério, diretor da Faculdade de Farmácia da Universidade Federal do Pará. Com uma estratégia bem desenhada, o projeto tem conseguido vencer o desafio de construir essa ponte entre farmacêutico e paciente.

Por meio da tutoria, o farmacêutico é imerso em um processo formativo que conduz a implantação ou implementação do consultório farmacêutico no local onde ele trabalha. “Cada atividade é pensada para ajudar o aluno a vencer os desafios do cotidiano, desde a criação de indicadores clínicos e a estruturação dos serviços até a consulta farmacêutica em si. Durante todo o tempo, ele pode se apoiar no tutor em caso de dúvidas, inseguranças, medos e construção de conhecimento”, destaca a coordenadora da Tutoria, Aline Bonetti.

Os tutores também desempenham um papel muito importante, pois eles avaliam cada uma das consultas realizadas pelos farmacêuticos através de áudios e registros de consulta enviados. Inicialmente, o programa de tutoria conta um uma fase de exploração e preparação, que antecede a etapa de realização de consultas farmacêuticas. Dentre as atividades que compõem esta fase inicial, está a apresentação dos serviços clínicos providos por farmacêuticos para a equipe gestora, teste dos conhecimentos sobre hipertensão e diabetes, bem como a redação de um procedimento operacional padrão (POP) com o intuito de desenhar e padronizar o serviço que será ofertado.

As atividades são supervisionadas de perto. Posteriormente, o farmacêutico é estimulado a realizar consultas farmacêuticas, as quais passam por uma avaliação criteriosa e personalizada por parte do tutor responsável, que aponta aspectos particulares a serem aprimorados de acordo com a necessidade específica de cada um. " Dessa forma, o farmacêutico recebe um feedback direcionado e completo do tutor, o qual utiliza um instrumento padronizado e validado para a avalição. Com este instrumento, o farmacêutico consegue facilmente perceber quais foram seus pontos fortes e quais etapas do método clínico ele precisa aprimorar", assinala Aline Bonetti.

O curso é um desafio superado que realmente tem trazido resultados positivos para a população e para os farmacêuticos. Os atendimentos realizados contemplam diferentes condições clínicas, desde transtornos autolimitados até condições crônicas prevalentes, como diabetes mellitus, hipertensão, depressão, saúde mental, dentre outros. Destaca-se que em muitas dessas cidades os farmacêuticos não podiam contar com um curso de pós-graduação para aperfeiçoamento, o que era fator limitante para o crescimento e valorização profissional.

Módulos presenciais e professores renomados

Além da abordagem metodológica diferenciada, hoje o Projeto Cuidado Farmacêutico leva até o aluno os professores mais renomados e capacitados do mercado. Todos os professores são avaliados quanto a sua experiência prática com relação ao conteúdo ministrado - para ministrar no projeto, não basta apenas saber a teoria. Esse grande diferencial é percebido na ponta pelos alunos, que se manifestam avaliando os docentes após o módulo. Nessas avaliações, realizadas através do controle de qualidade, os professores têm recebido avaliações extremamente positivas desde o início do projeto.

Os módulos presenciais são disponibilizados de acordo com a necessidade do SUS ou das farmácias comunitárias privadas. Atualmente, são módulos ofertados pelo projeto: Introdução à Farmácia Clínica e Saúde Baseada em Evidências, Implementação e Gerenciamento de Serviços Farmacêuticos, Cuidado Farmacêutico às pessoas com Hipertensão Arterial Sistêmica, Cuidado Farmacêutico às pessoas com Diabetes Mellitus, Manejo de Problemas de Saúde Autolimitados e Prescrição Farmacêutica, Gestão de peso e Cessação Tabágica, Fitoterapia e Cuidado Farmacêutico em Saúde Mental. Módulos adicionais podem ser fornecidos sob demanda dos alunos e conforme as necessidades locais.

Cuidado Farmacêutico em números

3.169 alunos inscritos 

360 cidades

60 polos (encerrados, em andamento e previstos)

5 regiões do país

3.144 de atendimentos farmacêuticos

125.760 minutos de consulta

2.096 horas de áudios recebidos pelos tutores 

4.192 horas de audição pelos tutores

O que dizem os alunos (Veja vídeo abaixo)

O projeto já conta com inúmeros casos de sucesso pelo país. Em muitos polos, diversos consultórios farmacêuticos e serviços foram implementados pelos alunos após o curso. É o caso da Dra. Flávia Raphaela Nass Arrotéia, da cidade de Cascavel (PR), que relata "Há 4 anos e meio comecei a trabalhar como Farmacêutica na Regional de Saúde de Cascavel, e isso para mim foi uma experiência completamente inovadora e desafiadora. No início somente entregava o medicamento que estava cadastrado para os pacientes e não prestava nenhum tipo de serviço diferenciado para ele, mas já percebia a carência dos mesmos em entender para que eles tomavam aqueles medicamentos, bem como seguir a posologia prescrita pelos médicos".

Em 2017 surgiu a oportunidade de participar do curso Cuidado Farmacêutico no SUS – Capacitação em Serviços, promovido pelo CFF, e posso afirmar que após os dois primeiros módulos já sentia confiança nos meus atendimentos e percebi mudanças na condução das consultas realizadas, pois tive a convicção da importância do papel do farmacêutico no cuidado da saúde do paciente bem como senti mais segurança, através do conhecimento teórico-prático transmitido nas aulas, para intervir na terapia medicamentosa do paciente quando necessário, bem como a realizar o encaminhamento ao profissional mais habilitado para o problema apresentado".

Além disso, ela relata como se sente em relação ao que os pacientes pensam de seu trabalho, "O retorno que temos dos pacientes é muito gratificante, eles realmente sentem- se agradecidos pelo serviço prestado e nos enxergam como um profissional que eles podem confiar e também requisitar a qualquer momento para esclarecer dúvidas. Atualmente atendo pacientes que voltam ao consultório para mostrar novos exames de sangue realizados, para aferir a pressão arterial ou então para verificar se podem ou não usar um novo medicamento adicionado recentemente à terapia já instituída previamente."

Vídeos

Paciente Gedalva Santos fala sobre a importância do Projeto Cuidado Farmacêutico no SUS - https://youtu.be/6YqZnRyS6OA

Alunos do pólo Belém avaliam Projeto Cuidado Farmacêutico no SUS - https://youtu.be/GxCQ4tJ5huQ

Mais informações aqui

Fonte: CFF






Encontrou algum erro ou conteúdo desatualizado em nosso site? - Clique AQUI e reporte para nossa área de qualidade.